Deputado Dr. Luiz Ovando critica novas medidas contra a Covid-19 em MS

O deputado federal Dr. Luiz Ovando (PSL) classifica de “insensatas” as novas medidas de restrição anunciadas contra a pandemia, que começam a valer a partir de segunda-feira (14) em Mato Grosso do Sul. “A insensatez político-administrativa venceu mais uma vez”, critica o parlamentar, que é médico há 45 anos.

Ovando defende outras formas de combate à Covid-19, como o tratamento imediato dos pacientes que apresentarem os primeiros sintomas da doença. “Por que o Estado não abre novas frentes de debate para encontrarmos solução para esse problema? As medidas de restrição já se provaram ineficazes”, explica.

Em vídeo publicado na última sexta-feira (11) em suas redes sociais, o deputado desafia infectologistas a explicarem, por exemplo, o fato de o Estado ser um dos primeiros em vacinação e mesmo assim apresentar aumento de casos de Covid-19. Ovando cita epidemiologistas consagrados, como Donald Henderson, Marc Lipsitch e Michael Levitt, que, segundo ele, são contrários ao lockdown.

“Em março deste ano, o estado do Texas, nos Estados Unidos, suspendeu o uso obrigatório de máscaras. Com a medida, os novos casos caíram de 4.781 para 1.918 e o número de mortes de 105 para apenas três em um mês. Em Nova York houve aumento. Como explicar?”, questiona.

O parlamentar indaga sobre o fato de 86% dos pacientes internados em CTI (Centro de Tratamento Intensivo), em Nova York, terem saído de isolamento domiciliar e, desses, apenas 1% era moradores de rua. Reforça ainda que as medidas de restrição em todo o mundo aumentaram em 20% os casos de suicídio e em 40% os de depressão.

“Por que não explicam o fato de que 64% das mortes por Covid-19 no mundo terem ocorrido em países que adotaram lockdown e 36% onde não houve?”, reitera Ovando, que recebeu pedido do presidente Jair Bolsonaro para continuar a defesa do tratamento imediato contra a Covid-19.

Sobre o uso de medicamentos antivirais de baixo valor, como cloroquina, hidroxicloroquina e ivermectina, o médico relata experiência bem sucedida em 52 municípios brasileiros, além de artigo científico publicado no American Journal Of Medicine, assinado por 23 autores, oriundos de 16 instituições de renome internacional, como o John Hopkins Hospital e Baylor Heart and Vascular Institute de Dallas Texas. 

O parlamentar critica posicionamento do secretário de Saúde do Estado, que culpa a população pelo aumento dos casos de Covid-19. “Se está havendo irresponsabilidade dos moradores, por que não manda prender por desrespeito às orientações?”, questiona.