Deputado condena fura-filas e pede altruísmo das pessoas sobre prioridade na vacinação

O deputado federal dr. Luiz Ovando (PSL-MS) condena casos isolados de pessoas que estão furando a fila de vacinação, cuja lista sobre grupos prioritários foi definida pelo Ministério da Saúde e não será mais alterada.

“Temos vistos muitos grupos pedirem para estar na lista sobre prioridades, que está fechada com profissionais de saúde, da área de segurança, idosos, pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência e idosos acima de 75 anos”, reforça.

Dr. Luiz Ovando, que é médico há mais de 40 anos, diz que, racionalmente, a vacinação deve ocorrer na faixa entre 20 anos e 59 anos para conter a disseminação viral e manter a atividade econômica.

O parlamentar destaca que, por enquanto, não há quantidade de vacinas suficiente para atender a toda população, independentemente do poder aquisitivo das pessoas. “Portanto, devemos seguir a tríade da prudência, humildade e obediência”, afirma.

Ovando pede às pessoas para que não furem a fila, passando à frente de quem tem prioridade, de acordo com o Ministério da Saúde. “Uma grande nação se faz com educação, altruísmo, disciplina e cultivo da verdade”, diz.